Pimenta Carolina Reaper: poucos conseguem encarar!

Compartilhe!

Quer saber tudo sobre a Carolina Reaper, a nº 1 das pimentas nucleares mais explosivas do mundo? Vem! Tudo o que você quer saber sobre ela está aqui!

Carolina Reaper: uma pimenta explosiva!

A Carolina Reaper (ceifadora da Carolina) foi criada por Ed Currie, da Carolina do Sul, E.U.A., um apaixonado por pimentas desde pequeno. Proprietário da empresa Puckerbutt Pepper Company, Ed recebeu o prêmio do Guiness Wold Records no ano de 2013 que considerou a Carolina Reaper como a pimenta mais pungente do mundo.

Para ter uma noção de qual ardida a Carolina Reaper é, testes efetuados pela Universidade Winthrop, na Carolina do Norte, comprovaram que ela atingiu 1.569.300, com picos de até 2.200.000 milhões SHU, medida utilizada pela escala de Scoville para determinar a pungência das pimentas, o que a tornou merecedora do prêmio não por acaso!

Ed Currie e a paixão pelas pimentas

Ed Currie, o criador da ceifadora da Carolina, é um apaixonado por pimentas desde muito jovem. Alguns problemas de saúde com familiares levaram Currie a desenvolver pesquisas entre o modo de vida das pessoas e qual a sua relação com as doenças.

Em uma dessas pesquisas, Currie constatou que as pessoas que se alimentavam de comidas apimentadas tinham uma chance menor de desenvolverem algum tipo de câncer ou de apresentarem problemas cardiovasculares.

Foi então que Ed Currie juntou o útil ao agradável e passou a investir cada vez mais, tanto na criação de novas espécies, quanto no cultivo dos mais variados tipos de pimenta, bem como na fabricação de seus derivados, como molhos, por exemplo.

Pimenta Carolina Reaper: poucos conseguem encarar!Pimenta Carolina Reaper: poucos conseguem encarar!Pimenta Carolina Reaper: poucos conseguem encarar!Pimenta Carolina Reaper

O que faz da Carolina Reaper a pimenta mais explosiva do mundo?

A Carolina Reaper, originariamente chamada de “Hp22b”, é uma pimenta híbrida, combinação de duas espécies Capsicum chinense: a Habanero e a Naga But Jolokia. Vamos conhecer uma pouco mais sobre as pimentas utilizadas na criação da ceifadora da Carolina. Acompanhe!

Pimenta Habanero

A pimenta Habanero é originária da América Central, mais precisamente do México e Caribe. Bastante aromática, saborosa e adocicada depois de madura, é um tanto apimentada, chegando a atingir mais de 350.000 SHU. A Habanero é muito utilizada na culinária caribenha para a preparação de molhos e de pratos típicos mexicanos.

Seus frutos são bem bonitos e em formato de lampião. Quando imaturos, sua coloração pode variar entre verde-escuro e alaranjado. Já quando maduros, apresentam uma coloração laranja-avermelhado até um vermelho mais intenso.

Naga Bhut Jolokia

Já a “parceira” da Habanero na criação da Carolina Reaper é a Naga Bhut Jolokia, também chamada apenas de Bhut Jolokia ou Pimenta Fantasma, é uma pimenta originária do estado de Assam, na Índia e também um híbrido da combinação de espécies Capsicum chinense e Capsicum frutescens. Sua pungência é bem superior a de sua “parceira” chegando a atingir 1.304.000 milhões SHU, o que a levou a conquistar o título de pimenta nuclear.

Assim como a Carolina Reaper, a Bhut Jolokia figurou no Guiness Wold Records no ano de 2007, quando foi considerada a pimenta mais ardida do mundo.

Seus frutos são bem grandes, de formato alongado, medindo cerca de 8 cm de comprimento, por 2,5 cm de largura e de coloração vermelho intenso quando maduros.

Carolina Reaper: híbrida para poucos!

Da combinação das duas espécies descritas surgiu a poderosa Carolina Reaper, a pimenta mais forte do mundo! De aparência delicada, semelhante a um mini pimentão, sua pele é levemente enrugada e de um vermelho brilhante.

E para finalizar, a “danadinha” ainda possui uma pequena haste inferior que lembra um ferrão ou a cauda de um escorpião, que serve de alerta para os mais corajosos ficarem espertos ao prova-la.

Não menos ardida é a sua “irmã” Carolina Reaper Chocolate, uma variação para lá de explosiva da ceifadora original e que, de acordo com os valentões que a provaram, queima ainda mais que a ceifadora Carolina!

Pimenta Carolina Reaper: poucos conseguem encarar!Pimenta Carolina Reaper: poucos conseguem encarar!Pimenta Carolina Reaper: poucos conseguem encarar!Pimenta Carolina Reaper

Sabor e sensação ao provar a Carolina Reaper

Mesmo seu próprio criador, Ed Currie, declarou que por mais acostumado que esteja com sua “cria”, sua boca ainda saliva intensamente, seus olhos lacrimejam e seu nariz começa a escorrer quando a saboreia.

Alguns mais corajosos que provaram a Carolina Reaper, afirmaram que ela, inicialmente, é muito gostosa, apresentando um sabor adocicado de chocolate/canela, com notas cítricas e logo depois, alguns toques frutados, mas queima intensamente.

A partir daí é que o “bicho pega” literalmente! As ondas de calor se iniciam e a sensação de queimação pode permanecer por até 30 min. E não tente apagar o fogo com água de jeito nenhum! Não é um incêndio tão pouco necessita de um bombeiro! Isso fará com as moléculas de capsaicina se espalhem pela boca tornando a experiência desastrosa.

A melhor maneira de conter (um pouco) a sensação de queimação é tomar um pouco de leite, consumir algum de seus derivados, como um pedaço de queijo ou mesmo uma fatia de pão. E aí? Vai encarar?

Carolina Reaper: como cultivar?

A ceifadora Carolina pode ser cultivada facilmente em vasos e jardineiras, suas sementes, assim como mudas já formadas, são encontradas facilmente em lojas de jardinagem e mercados municipais.

A Carolina Reaper, assim como a maioria das pimentas, gosta de clima quente, pouca umidade e muita luminosidade. Entretanto, em locais muito quentes é aconselhável que fique durante os horários mais quentes do dia em uma generosa sombra.

O solo deve ser rico em matéria orgânica, bem drenado e nunca encharcado para evitar que a raiz apodreça. As sementes podem ser plantadas no local definitivo, mas o mais comum é formar a muda em copos de plástico descartáveis.

As sementes devem ficar aproximadamente 0,5 cm de profundidade no solo, regadas com pouca quantidade de água diariamente e em local aquecido até a sua germinação, que ocorre entre 7 a 15 dias.

Após esse período, a muda estará pronta para ser transplantada para seu local definitivo. Seus frutos poderão ser colhidos entre 80 a 120 dias, mas é necessário o uso de luvas para manuseá-los.

Agora, se prefere adquirir a pimenta Carolina Reaper em conserva (frutos inteiros) ou molhos de pimenta à base da ceifadora, é só procurar em casas especializadas em condimentos e grandes redes de supermercados.

Cuidados ao consumir a Carolina Reaper

A alta concentração de capsaicina contida na ceifadora Carolina pode provocar sérios problemas se consumida em excesso. Fortes dores de cabeça, náuseas e vômitos, tonturas e, em casos mais graves, um acidente vascular cerebral (AVC) reversível. Todo cuidado é pouco. E aí? Vai encarar a Carolina Reaper?

Compartilhe!

Comments are closed.