Contraindicações da pimenta: cuidados ao consumir

Compartilhe!

Afinal, as “ardidinhas” fazem bem ou mal à saúde? Existem contraindicações da pimenta? Nesse artigo abordaremos sobre verdades e mitos que rondam em torno das “ardidinhas”.

Pimenta faz bem à saúde

A pimenta vem sendo alvo de muitos estudos ao longo de anos e, tanto pesquisadores quanto cientistas não unânimes em afirmarem: a pimenta traz inúmeros benefícios à saúde. Entretanto, algumas pessoas ainda tem certo receio em consumi-la, principalmente a pimenta-do-reino, uma das especiarias mais antigas e utilizadas no mundo.

Primeiramente, vamos conhecer alguns dos benefícios das pimentas mais utilizadas no dia-a-dia dos brasileiros e se de fato elas apresentam alguma contraindicação.

Pimenta-do-reino ou pimenta preta

A pimenta-do-reino, nome científico Piper nigrum, é a mais utilizada no dia-a-dia dos brasileiros e alvo de muitos questionamentos em torno do seu consumo. A mesma planta produz frutos, dependendo do seu grau de maturação e da tecnologia de produção, pimentas verde, rosa, branca e preta, ou, do-reino.

A pimenta-do-reino possui um principio ativo chamado de piperina que é muito benéfico para a saúde. Veja só.

  • Melhora a digestão: a piperina estimula a produção de sucos gástricos;
  • Auxilia na queima de gordura: acelera o metabolismo contribuindo para o emagrecimento;
  • Diminui a formação de gases;
  • Possui propriedades analgésicas sendo eficaz em caso de dores nas articulações e musculares;
  • Combate os radicais livres por ser rica em antioxidantes;
  • Melhora a absorção de nutrientes encontrados nos alimentos;
  • Possui propriedades antissépticas, sendo utilizada desde a antiguidade para conservar os alimentos;
  • É um antidepressivo natural, por estimular a produção de serotonina e dopamina;
  • Possui propriedades afrodisíacas;
  • Auxilia na redução do sal: a pimenta-do-reino possui sódio e com isso, contribui para a redução do uso de sal no preparo dos alimentos.

Contraindicações da pimenta: cuidados ao consumirContraindicações da pimenta: cuidados ao consumirContraindicações da pimenta: cuidados ao consumirContraindicações da pimenta

Pimenta vermelha ou pimenta malagueta

A pimenta vermelha é fruto das plantas do gênero Capsicum, pertencente à família Solanaceae e seu principio ativo é a capsaicina, responsável por sua picância. É comum encontrarmos esse tipo de pimenta em conserva, naquelas garrafas que só de olhar, já arde! Ela é muito utilizada em pratos típicos como a feijoada e o acarajé. Conheça alguns de seus benefícios.

  • Auxilia no combate ao câncer, principalmente o de próstata;
  • Previne e trata o diabetes, inclusive em mulheres com diabetes gestacional;
  • Auxilia no controle dos níveis de colesterol;
  • Fortalece o sistema imunológico por possuir vitamina C;
  • Possui propriedades antioxidantes, sendo eficaz para aliviar dores de estômago e úlceras. Estudos apontam que a pimenta malagueta inibe a secreção ácida, estimula as secreções de álcali e muco e, o fluxo sanguíneo da mucosa gástrica, o que auxilia na prevenção e no tratamento de úlceras;
  • Auxilia na perda de peso;
  • Alivia as dores de cabeça, das articulações, bem como os sintomas de fibromialgia;
  • Auxilia na digestão por estimular a produção de sucos gástricos que melhoram a capacidade do organismo em metabolizar alimentos e toxinas.

Contraindicações da pimenta

Muito bem! Os benefícios das pimentas mais consumidas no Brasil já foram explanados. Vamos às contraindicações da pimenta e saber quais são os mitos e verdades sobre elas?

Pimenta causa hemorroida

Muitas pessoas acreditam que comer pimenta causa hemorroida. Mito! O que pode ocorrer é causar uma irritação no problema já existente, ou seja, se a pessoa já possuir fissuras anais ou hemorroidas, com certeza na hora da evacuação sentirá uma ardência. Mas, não é nada grave.

Pimenta causa problemas estomacais

Como relatamos acima, as pimentas são poderosas para combater vários problemas relacionados ao aparelho digestivo. Entretanto, o consumo em excesso de pimentas com uma pungência muito elevada, podem originar alguns problemas como, ardência na boca, inflamação e até ocorrer uma gastrite química.

Mas, vale ressaltar que são casos raríssimos, mesmo porque, o brasileiro não consome tanta pimenta assim no seu dia-a-dia em comparação aos tailandeses e coreanos que consomem 8 gramas por dia, e, os brasileiros, apenas meia grama/dia.

Pimenta não pode ser consumida por mulheres grávidas

Pode esquecer! Outro mito que passa de geração para geração. Não há nenhum problema em grávidas comerem pimenta. O consumo de pimenta por grávidas não provoca a má formação do bebê, não é abortiva e muito menos desencadeia trabalho de parto.

O que pode ocorrer é que durante a gravidez há mudanças significativas tanto hormonais quanto físicas, como, por exemplo, intestino mais lento, azia e refluxo. Como a pimenta altera o pH do estômago, algumas mulheres podem ter sensações ruim, nada além disso.

Outro ponto importante é que no final da gravidez algumas mulheres podem ter hemorroidas, o que é muito comum e, o consumo exagerado de pimenta, poderá causar ardor e desconforto.

Mas, se a grávida não sentir nenhum desconforto, as “ardidinhas” estão liberadas.

Contraindicações da pimenta: cuidados ao consumirContraindicações da pimenta: cuidados ao consumirContraindicações da pimenta: cuidados ao consumirContraindicações da pimenta

Pimenta não pode ser consumida durante a amamentação

Outro mito que a medicina derrubou por terra! Comer pimenta durante a amamentação não faz mal nem a mamãe e nem ao bebê. Durante muitos anos acreditava-se que comer pimenta durante a amamentação provoca cólicas e manchas avermelhadas na pele do bebê.

Especialistas em medicina da mulher afirmam que durante a amamentação a alimentação deve ser diversificada para estimular e manter a produção de leite devendo incluir frutas, vegetais, cereais, grãos, proteínas, entre outros, e a pimenta, por ser rica em vitaminas A, E e C, fibras e baixa em calorias.

Pimenta pode causar problemas respiratórios

A pimenta-do-reino, quando inalada, pode sim, irritar o trato respiratório e causar problemas de inchaço e dificuldade para respirar.

Pimenta é proibida para crianças

Não existe nenhum estudo científico que crianças não podem consumir, moderadamente, pimenta. Assim, não há nenhuma contraindicação para o consumo moderado de pimenta na alimentação das crianças acima de 5 anos de idade.

Por exemplo, no México, onde o consumo diário de pimenta é um dos maiores do mundo, as crianças se acostumam desde cedo com seu sabor, mas, no Brasil e em outros países do mundo não é bem assim.

Entretanto, a pimenta não deve ser consumida por crianças menores de 5 anos, mesmo porque, o seu sabor não as agradaria e, também, poderia causar irritação da mucosa gástrica. Pelo sim pelo não, melhor evitar.

Pimenta não pode ser consumida por idosos

Não só pode como deve! Claro, sempre com moderação, quanto qualquer outro alimento. Além de todos os benefícios que já citamos, a pimenta possui boas quantidades de potássio e cálcio, além de vitaminas do complexo B, que auxiliam na fortificação dos ossos e melhoram o sistema circulatório, diminuindo as chances de ataque cardíaco e AVC.

Conclusão

Podemos encontrar mais benefícios do que contraindicações da pimenta, salvo raras exceções. Mas, é importante que um médico seja consultado para esclarecer e tirar dúvidas sobre o seu consumo. No mais, para quem é amante de pimentas, é só aproveitar.

Compartilhe!

Comments are closed.