Tipos de pimenta-do-reino: conheça os principais e seus benefícios

Compartilhe!

Branca, preta e verde são os principais tipos de pimenta-do-reino encontrados nos mercados. Mas todos são frutos do mesmo gênero: Piper nigrum. L, que é formado por cerca de 2 mil espécies. Entenda tudo isso e muito mais a seguir… Vamos lá!

O gênero Piper nigrum surgiu na Índia, porém, seu cultivo ocorre em diversas outras regiões tropicais e subtropicais do mundo. E o Brasil é o quarto maior produtor de pimenta-do-reino, ficando atrás apenas da própria Índia, além de Vietnã e Indonésia.

O que muda a cor dos grãos de pimenta-do-reino é o período de colheita e o processamento utilizado. Assim, temos à disposição especiarias coloridas frequentemente empregadas nas cozinhas nos quatro cantos da Terra.

Tipos de pimenta-do-reino

Foto: Couleur por Pixabay

São aditivos alimentares e condimentos, mas também ingredientes com propriedades medicinais, especialmente nos países asiáticos.

Além dos três tipos de pimenta-do-reino já mencionados, existe ainda um quarto, de cor avermelhada, quase sempre confundido com a pimenta rosa. No entanto, é uma variedade mais rara de ser encontrada e comercializada.

Já a pimenta rosa, é bom destacar, tem o nome científico Schinus terebinthifolius e é fruto da Aroeira, não da Piper nigrum.

Para entender melhor os tipos de pimenta-do-reino, é preciso falar sobre o desenvolvimento dela. Trata-se de uma planta que produz frutos em formato de baga.

Imatura, a baga tem cor verde, e vai ficando vermelha conforme a maturação avança. Dependendo do grau de amadurecimento e da preparação da pimenta, o fruto pode ser:

  • Branco – para ter este tom, o fruto é colhido na cor amarelada ou vermelha. Com a etapa da maceração, é retirada a película que cobre o grão, fazendo aparecer a pimenta-do-reino branca.
  • Preto – é resultante da colheita do fruto totalmente desenvolvido e na cor verde clara ou amarelada. Depois da secagem em aparelho ou ao sol, temos este que é um dos tipos de pimenta-do-reino mais utilizados.
  • Verde – tem-se a pimenta-do-reino verde quando a espiga é retirada ao atingir 2/3 do desenvolvimento dos frutos. Em seguida, os grãos são preparados em salmoura.
  • Vermelho – basta remover os frutos com coloração vermelha e conservá-los em salmoura.

Benefícios

Tipos de pimenta-do-reino

Foto: 澍 龙 por Pixabay

No geral, a pimenta-do-reino traz em sua composição substâncias como:

  • Cálcio
  • Cromo
  • Ferro
  • Manganês
  • Potássio
  • Vitamina A
  • Vitamina C
  • Zinco

Combinadas, elas podem auxiliar nossa saúde de inúmeras formas. Conheça algumas:

  • Ativar a circulação – a pimenta-do-reino é capaz de turbinar o metabolismo, impulsionando a circulação sanguínea e, por consequência, prevenindo ou aliviando desconfortos vasculares.
  • Favorecer o metabolismo – devido ao potencial termogênico, a Piper nigrum aquece o nosso corpo e, com isso, influencia positivamente o gasto calórico, dando uma forcinha quando desejamos perder peso.
  • Atuar como antioxidante – todos os tipos de pimenta-do-reino estão associados ao combate aos efeitos dos radicais livres. Estes inimigos da saúde aceleram o envelhecimento celular e colaboram com o surgimento de males como o câncer.
  • Contribuir com a memória – a piperina, substância encontrada nos distintos tipos de pimenta-do-reino, consegue otimizar a comunicação dos neurônios.
  • Estimular a absorção de certos nutrientes – isso ocorre graças à ação do betacaroteno, selênio e de vitaminas do complexo B. Lembre-se: não basta comer os alimentos ideais; é preciso absorvê-los adequadamente.
  • Favorecer o bom humor – ao estimular a produção de serotonina, a pimenta-do-reino pode contribuir com nossa felicidade.
  • Melhorar a digestão – a salivação e a produção de ácido clorídrico crescem ao consumir os tipos de pimenta-do-reino, colaborando com nosso aparelho digestor, principalmente durante o processamento de comidas “pesadas”, gordurosas ou com muita proteína.

Atenção: Este post tem a função de informar, com base em dados divulgados na mídia; não substitui acompanhamento nutricional ou médico. Consulte sempre profissionais capacitados antes de fazer alterações importantes na sua dieta ou tratamento. Pimentas podem ter contraindicações. Evite excessos em seu consumo.

Espero você aqui em breve… Até lá!


Compartilhe!

Comments are closed.