Já ouviu falar na pimenta piri piri? Contamos tudo sobre ela aqui

Compartilhe!

Você já ouviu falar sim de pimenta piri piri, mas com outro nome que é mais usual aqui no Brasil.

Em outros países, como Portugal e Angola, recebeu diversos nomes, como jindungo, gindungo e piri piri.

A origem e significação do termo são duvidosas. Pois sabe-se apenas que tem como origem os países lusófonos citados.

O mesmo quanto ao seu nome mais conhecido no Brasil, Pimenta-Malagueta, mas recebe outros nomes conforme a região do país:

  • Maguita-tuá-tuá;
  • Nedungo;
  • Gindungo.

A pimenta piri piri é considerada mais forte em relação a pimenta do reino e preta, mas não provoca tantas reações adversas.

Qual a história dessa pimenta, de que tipo de planta deriva, quais são os seus benefícios para o corpo, se é que faz algum, e como é utilizado na culinária?

Abordaremos todas essas questões envolvendo pimenta piri piri nos próximos tópicos.

Mas também cuidaremos de apresentar uma receita rápida e fácil usando a pimenta piri piri.

Se gosta de pimenta bem ardida, a piri piri, ou malagueta, provavelmente satisfará seu paladar exigente. Prossiga na leitura dos próximos tópicos para saber mais detalhes dessa fruta que tem uma característica única no reino vegetal: a de fazer arder as papilas gustativas ao ser rompida dentro da boca.

Já ouviu falar na pimenta piri piri? Contamos tudo sobre ela aquiJá ouviu falar na pimenta piri piri? Contamos tudo sobre ela aquiJá ouviu falar na pimenta piri piri? Contamos tudo sobre ela aquiPimenta piri piri

A história da pimenta piri piri

A origem da pimenta piri piri é comum em relação a todas as suas irmãs. Ela é nativa do continente americano. Ou seja, só foi ganhar a culinária mundial com a chegada dos navegantes europeus.

Cristóvão Colombo foi o primeiro a ter contato com o vegetal ao perceber que as populações da América Central utilizava a fruta para temperar o consumo de carnes e cereais e também para manter os alimentos livres de bactérias e fungos. É provável que a pimenta piri piri e as demais tenham sido as responsáveis por aumentar a expectativa de vida desses povos e de manter a produtividade dessas civilizações durante a era de isolamento.

Os que ficaram animadíssimos com a novidade foram os portugueses que adoraram esse acréscimo na culinária lusitana. Logo passaram a experimentar todas as variações produzidas pela Capsicum, nome científico dado a pimenteira. Depois de saborearem largamente a pimenta-do-reino, ficaram surpresos de encontrar espécie que fosse mais forte, ardida.

A pimenta piri piri  e suas derivações ganharam o mundo a partir de então. Se inserindo no cotidiano das cozinhas europeias, africanas e asiáticas.

Dados sobre a pimenta piri piri

É uma variante da Capsicum, sendo denominada por isso como “Capsicum Frutescens, que também dá origem a pimenta tabasco.

O termo “Capscum” vem do grego “Kapto” que significa “morder”. É provável que a inspiração para o nome tenha sido o efeito provocado logo após morder a fruta, ou do ato em si de morder tal espécie de vegetal que representaria coragem. O calor advindo depois de experimentar o fruto da pimenteira também é outra possibilidade de inspiração.

A planta conhecida como pimenteira é esparsamente ramificada, repleta de folhas simples, mas numerosas. O fruto que prover é pequeno, mede aproximadamente três centímetros de comprimento, e é vermelho. É considerado uma das pimentas mais fortes.

Plantio da pimenta piri piri

A espécie de planta prefere climas tropicais, quente e úmido, e não se adapta bem em climas frios. Não à toa é originária das regiões central e sul do continente americano.

O solo que melhor rende tem que ser solto e bem drenado, além de, claro, ser fértil, permeável, situar-se em local fresco e ser rico de matéria orgânica.

Na culinária

A pimenta piri piri, e pimenta em geral, pode ser consumida de várias formas. Seja no preparo de molhos, para temperar alimentos salpicando na comida ou para misturar com alho ou cebola.

No México é amplamente utilizada nos pratos dos mais sofisticados aos mais corriqueiros. Pudera, afinal estima-se que o vegetal picante tenha surgido por volta de 7.000 a.C no México Central. O que seria o fator fundamental para a culinária mexicana ser sempre associada a pratos com gosto picante muito acentuado.

A culinária da Ásia e Eurásia também são conhecidas pelo largo uso dos mais variados tipos de pimenta, inclusive a piri piri. Outro polo gastronômico que tem como grande referência o uso do vegetal para temperar seus pratos é a Índia.

 

Os benefícios da pimenta piri piri

O que explica essa pimenta apresentar nível de ardor elevado ao paladar é ter alta dose de capsaicina. Essa substância se por um lado provoca o ardor que faz essa pimenta ser considerada a mais forte da família das Capsicum, mas por outro é responsável por proporcionar vários benefícios ao corpo humano.

Pesquisam apontam que a pimenta piri piri é capaz de reduzir o nível de insulina no corpo. Melhora o controle glicêmico, o que é ótimo para diabéticos.

A capsaicina favorece também a digestão por estimular as secreções do estômago.

Além disso, atua como um bom cicatrizante de feridas, como úlceras, ao estimular a circulação no trato digestivo.

Outros benefícios a saúde provocadas por essa pimenta:

Alívio da dor

A substância presente na pimenta piri piri tem poder de reduzir a inflamação de dores causadas por artrite reumatóide e fibromalgia.

Fortalece o sistema imunológico

Está presente no vegetal Vitaminas como A, E, C. Vitaminas que fortalecem o sistema imunológico que é fundamental para nos manter livre da ação de vírus e bactérias.

Regula a pressão arterial

Por ter elementos vasodilatadores, a pimenta colabora para aumentar o controle da pressão arterial. Por isso diz-se também que quem consome com frequência pimenta piri piri tem menos propensão a sofrer um ataque cardíaco.

Molho piri piri (receita portuguesa)

E para finalizar esse post vamos passar a receita de um molho delicioso tradicional em Portugal.

Os ingredientes

Irá precisar de:

  • Uma (1) colher de sopa de sal;
  • Cem (100) ml de whisky;
  • Duzentos e cinquenta (250) ml de óleo de girassol;
  • Três (3) pimentas malaguetas frescas;
  • Uma (1) cabeça de alho.

Modo de preparo

  • Em um recipiente coloque: a pimenta fresca e a cabeça de alho;
  • Soque até que a mistura vire uma pasta;
  • Coloque o sal;
  • Adicione o óleo;
  • Acrescente o whisky;
  • Mexa até virar um creme;
  • Reserve na geladeira em vasilha de vidro.

Detalhe prepare esse molho 24 horas antes.

Gostou deste conteúdo sobre pimenta piri piri?

Então curta, compartilhe.

Leia mais de nosso conteúdo.

Compartilhe!

Comments are closed.